sexta-feira, 11 de março de 2011

ESTUDOS DE APOLOGÉTICA CRISTÃ: SEICHO-NO IÊ, POSITIVISMO MALÉFICO

POR UM CRISTIANISMO SADIO
1- INTRODUÇÃO

Este breve estudo traz em seu bojo referências e apontamentos, extraídos de pesquisas realizadas em revistas de estudos bíblicos, dicionários e textos da Internet.

Seu objetivo é pontuar biblicamente os pensamentos da referida seita, em detrimento com o texto bíblico e com a fé cristã, levando em consideração a doutrina dos apóstolos e os ensinamentos por eles registrados na Sagrada Escritura.

2- DADOS HISTÓRICOS


FUNDADOR TARDIO
Masaharu Taniguchi (1893-1985)
DATA DA FUNDADÇÃO
Março de 1930 (Ideologicamente 1893).
ORIGEM
Japão
PRINCIPAIS RELIGIÕES ASSOCIADAS
Budismo, Xintoísmo, Espiritismo, Ciência Cristã, Religiões Orientais Tibetanas.
NO BRASIL
Agosto de 1952 Estabelecida publicamente.


3- BREVE RELATO HISTÓRICO

A expressão Seicho-No-Iê traduzida literalmente significa “Lar do Peregrino Infinito”. E isto está intimamente relacionada com a vida de seu fundador que se considerava um peregrino do infinito.

Masaharu Tanaguchi, antes de enveredar por suas filosofias, era de família pobre e viveu em extrema pobreza, até iniciar o movimento da referida seita, após isso ele conseguiu alcançar um bom padrão de vida. Até o ano de 1928 Taniguchi viveu de maneira turbulenta e sem definição religiosa, pelo contrário, vivia uma vida conturbada e sem direcionamento.

No ano de 1928 Masaharu afirma ter sido iluminado. Neste ano ele com sua família foram acometidos de uma doença, e segundo ele, ao negar a doença e os males da matéria humana, que Taniguchi chama de “mundo fenomenal”, o livramento da doença e males ocorreram.

Nesta perspectiva a matéria, o pecado e o mal, são apenas frutos da ilusão humana, são frutos da mente. E o livramento e libertação desses intemperes acontecem mediante o pensamento fixo em Deus por meio de preces e fórmulas mágicas repetitivas.

Assim eles creem na cura sem intervenção médica ou de remédios; usam calendários devocionais com poder de cura; cantam na língua japonesa e usam o templo, principalmente, para realização de encontros sociais e festas.

4- A SEITA PROPRIAMENTE DITA

Como relatado acima o movimento surge na modernidade, no Japão, o idealizador inicial foi o tio de Taniguchi, que de uma Vila Japonesa muito pobre lança algumas filosofias, que servirão mais tarde de alicerce para o surgimento da SNI, isto ocorre em Novembro de 1893.

Taniguchi teve uma criação rígida e severa, que o fez crescer revoltado com a sociedade e com a vida. Assim logo cedo entregou-se a leitura com força total. Quando adulto teve vários relacionamentos sexuais ilícitos, fazendo que ficasse com a consciência pesada, a ponto dele não conseguir nem dormir.

Essa vida desregrada e perturbada levou-o a contrair diversas doenças venéreas e transmiti-las a pessoas de seu convívio, e isso o conduziu ao desespero e somente negando o fato é que conseguiu vencer a insônia que o incomodava.

Na universidade Inglesa de Tóquio, interessou-se e enveredou-se pelas ciências psíquicas, crendo que tais poderiam conduzir o ser humano à salvação espiritual e por consequência a salvação da sociedade.

Durante a primeira guerra mundial Taniguchi, dedicou-se à leitura e meditação de escritos budistas, que o levou a um dos principais fundamentos da SNI: “não existe matéria, como não existe doenças, quem criou tudo isso foi o coração... segue-se disso que a doença pode ser curada com o coração.”

4.1. CONFUSÃO IDEOLÓGICA E RELIGIOSA

Passado o confronto bélico da 1ª guerra mundial, Masaharu, que já havia se envolvido com as ciências psíquicas e com o budismo resolve filiar-se a uma seita japonesa chamada Omotokyo, em seguida dedicou-se à leitura relacionada com a psicologia, espiritismo e aprofundou-se no estudo da Ciência Cristã.

Depois dessa conturbada mistura de pensamentos, filosofias e religiões de mistério, ele dedica-se a escrever e sistematizar seus pensamentos, e propõe então uma “salvação amigável”, desprezando o que ele chamava de religiões que incutiam medo para alcançar a salvação.

Assim começou a reunir-se e ministrar curas sobre os doentes através da auto-sugestão, ficando conhecido como um grande curandeiro/feiticeiro daquela época, em seu país.

Em 1934 estabeleceu a sede do movimento em Tóquio. Criou a Revista do movimento com o mesmo nome da seita, e prometia que através da assinatura da mesma os assinantes alcançariam o livramento de qualquer mal.

Com o passar dos anos o movimento que tinha um caráter social, psicológico e cultural ganha ares de religião. E na década de 40 ganha o status do Governo Japonês de Religião.

No Brasil a Seita chega em 1930 com os imigrantes japoneses, no entanto fica incubada somente entre os colonos nipônicos. Somente na década de 50 é difundida para o povo brasileiro, quando foi inaugurada a sede no país na cidade de São Paulo. Atualmente está difundida em todos os Estados Brasileiros.

5- PENSAMENTOS, FILOSOFIAS



PRINCIPAL OBRA
Livro “Simei no Jissô” (Verdade da Vida.
SIMBOLOGIA
Grande sol (Xintoísmo), com uma Lua (Budismo) dentro, e uma Cruz (Cristianismo) contida na Lua.
SIGNIFICADO SEICHO-NO-IÊ
Abrigo, casa, lar do crescimento, da plenitude da vida, amor, sabedoria, abundância e todos os demais bens em grau infinito.
O MAL
Não existe, fruto da imaginação humana, é anulado com pensamento positivo.
O PECADO E O HOMEM
O ser humano é dotado da natureza divina, não existe pecado, o homem manda tanto na razão como na emoção. “O homem é um ser divino, um ser búdico”.
DOENÇAS
São geradas pelas tristezas das ilusões dos homens. Elimina-se a tristeza a doença vai embora.
DEUS
Panteísta – Deus é tudo em tudo.
JESUS CRISTO
Jesus não é Deus, Jesus não sofreu, pois não existe sofrimento. A SNI realiza mais milagres do que o Cristianismo.
BÍBLIA
Sem importância, os escritos do fundador são mais importantes que a Bíblia.
MILAGRES
Cura pela auto-sugestão e pela transformação mental sem auxílio de médico.


6- APOLOGÉTICA CRISTÃ


O MAL
Desde o princípio o bem e o mal estão presentes (GN. 2.9); Jesus sempre referenciou a respeito do mal, Parábola dos Lavradores maus Ele afirma que o mal está no coração do homem. Outras referências (RM. 7.15-25; 2CO. 5.1-10, EF. 6.12, 1CO. 15.50). Malaquias profetiza o julgamento contra os que praticam o Mal (ML. 4).
O PECADO E O HOMEM
Existe e separa o Homem de Deus (RM. 3.23; 5.12). O pecado domina o Homem (GN. 2.15-17; EF. 2.1-3), Pecado Condena o Homem (2CO. 5.21; 1PE. 2.24; RM. 5.1-11).
DOENÇAS
A Bíblia cita vários exemplos de servos de Deus que passaram por alguma enfermidade ou dor, Jó, Paulo, Timóteo e o próprio Jesus. Tudo coopera para o bem dos que amam a Deus (RM. 8.28; 2CO 12.7-10; FL. 4.11-13; Jó 42.1-6).
DEUS
A Bíblia apresenta-o como um ser pessoal. Transcendente além do mundo material (IS. 57.15), Ele não habita em coração de homens maus.
JESUS
É Deus encarnado que morreu por toda a humanidade. (João 3.16; RM. 3.23; RM. 6.23).
MILAGRES
Muitos afirmariam diante de Jesus que realizaram muitos milagres (MT. 24.11; MC. 13.21-23). Deus opera milagres mas não está preso a vontade de homens (SL. 120.1; 121.1-2; 62.1; 46.1). Opera a cura ou não de acordo com sua soberana vontade.

            

7- QUADRO RESUMO


RESUMO

SEICHO-NO-IÊ
CRISTIANISMO
DEUS
Força Impessoal
Ser pessoal auto revelado
JESUS
Profeta
Deus encarnado
HOMEM
Auto-suficiente; ser divino
Corrompido, pecador, e dependente de Jesus para Salvação.
BÍBLIA
Escritos de Tanaguchi
Bíblia Sagrada regra de fé e prática.


8- CONCLUSÃO
As obras e milagres seguem a mensagem do evangelho. Como escrito está, por Tiago: - “A fé sem obras é morta”, porém a fé vem primeiro e não as obras. Nossa liberdade foi alcançada em Cristo e não através da positividade mental, pois essa passa, mas Cristo é eterno e nos virá em breve buscar (João 14.1-6).
9- BIBLIOGRAFIA
MATHER, George A.; NICHOLS, Larry A. Dicionário de Religiões , Crenças e Ocultismo. Editora Vida, São Paulo – SP, 2000; Pgs. 406-408.
Revista do Aluno. Perigo A Vista – 13 Estudos Bíblicos Sobre Seitas e Religiões. Editora Cultura Cristã. São Paulo – SP. 1996. Pgs. 13-16.
BÍBLIA SAGRADA. Revista e Atualizada. Bíblia de Estudo de Almeida. Sociedade Bíblica Brasileira.    

Pr. Marcos Macedo da Cunha

2 comentários:

  1. Pastor, admiro sua fé, mas apesar de ser cristã, sempre aprendi em família que Deus está em todos os lugares e que no final é sempre entre a gente e Deus. Nunca consegui entender quem pode ser dono de Deus e dizer que só sua interpretação dos textos é a correta, mesmo porque entre os próprios cristãos as interpretações são muitas. Com todo respeito, vejo este e outros julgamentos como os do novo testamento, de Madalena, da viúva. Se Cristo não ensina a julgar, podemos mesmo julgar uns aos outros quanto ao seu relacionamento com Deus? Se Deus é amor, se esse foi o maior ensinamento de Cristo, onde está o amor não existe Deus? É só onde está a lei pela interpretação de um pastor, de um padre, de um rabino ou de um aiatolá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado(a), Cristo quando em sua jornada, ensinou que pelos frutos conheceríamos a árvore, cristo nos ordenou no Evangelho de Mateus que ficássemos atentos pelos levantes de novos "pseudos cristos" que viriam e enganariam a muito inclusive os da própria fé nEle (Mateus Capítulos 24 e 25), o Espírito Santo registrou através da vida do Apóstolo João em sua segunda carta pastoral, que os enganadores, com seus engodos e desvios da sã doutrina, não deveriam nem se quer receber nossas boas vindas, Pedro em sua primeira carta alerta o mesmo, o Apóstolo Paulo nas cartas endereçadas aos Tessalonicenses deixa claro o perigo das "fábulas" carregadas com vãs filosofias e sufrágios ao Evangelho de Jesus Cristo, os pais da Igreja como Tertuliano, Pastor de Hermas Agostinho entre outros foram vorazes defensores da fé e doutrina cristã, daí o porque inclusive que são chamados também de pais apologéticos, diante disso tudo, cabe-me apenas ratificar aquilo que a Palavra de Deus (Bíblia) e Jesus Cristo nos ensinou, que dia após dia devemos nos revestir de conhecimento e buscar a profundidade desse conhecimento, para então podermos dialogar, lutar e refutar as heresias, sim, que se levantam sorrateiramente, levando milhares a desviarem dos santos caminhos do Senhor. Portanto não é JULGAMENTO, mas sim a defesa da fé que me salvou! Deus te abençoe muito!

      Excluir

Indique por E-mail